O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

domingo, 4 de dezembro de 2016

Chapecó, debaixo de chuva e lágrimas, se despede de seus heróis na Arena Condá

ESPN.com.br
 
622 b7bf305b ba1c 3243 9654 9611f64c781f
Cerimônia em homenagem às vítimas da tragédia se encerra aos gritos de 'Vamos, vamos, Chape'!
Os heróis voltaram para casa. Neste sábado, a cidade de Chapecó recebeu os corpos de jogadores, comissão técnica e dirigentes da Chapecoense que morreram em acidente aéreo em Medellín na última terça-feira. Debaixo de chuvas e lágrimas, a delegação recebeu uma grande homenagem na Arena Condá, estádio onde a pequena equipe catarinense ganhou fama continental.
Dois aviões Hércules-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) pousaram com poucos minutos de diferença a partir de 9h30 (horário de Brasília) com os corpos dos 50 atletas e integrantes da equipe técnica da Chapecoense repatriados da Colômbia.
 
622 f4ae1d71 d2ca 35d0 ba47 46dee0bef6f5
Primeiro avião com os corpos dos jogadores chega em Chapecó
A primeira chegada foi saudada por uma salva de fogos de artifício na Arena Condá, que começou a encher desde as primeiras horas da manhã - apesar da chuva torrencial - e acompanhava tudo através de imagens no telão. Os caixões começaram a ser retirados das aeronaves com escoltas militares, sob os aplausos dos parentes das vítimas presentes no local.
Dali, todos foram conduzidos em cortejo até o estádio onde a equipe viveu momentos memoráveis da epopeia que a converteu em finalista da Copa Sul-Americana - dos pênaltis contra o Independiente-ARG, a vitória debaixo de tempestade sobre o Junior Barranquilla-COL e a defesa milagrosa de Danilo contra o San Lorenzo-ARG -, em um sonho que foi interrompido nas montanhas de Medellín.
A população local quis demonstrar sua solidariedade marcando presença e se dirigiu ao local vestida de verde e branco. Houve também que usou o amarelo da camisa da Colômbia, lembrando as demonstrações de solidariedade do país vizinho. À medida que os caminhões com os corpos se aproximava da Arena, o número de presentes aumentava, assim como a chuva.
 
622 ac550e06 5905 3cd1 a5ff 96e871e19d63
Mascote da Chapecoense fala sobre relação com Kempes e Caio Júnior: 'Vão fazer muita falta'
Convertido na sede de um velório gigante ao ar livre, o gramado da Arena Condá começou a receber os caixões por volta de 12h30 (de Brasília), com muitos aplausos dos presentes e gritos de "Chape, Chape". Familiares, amigos, torcedores e mesmo os oficiais do exército se uniram em emoção, luto e lágrimas.
Se o sentimento de todos era um só, os sons se confundiram, com o estranho silêncio em memória de todos que perderam a vida na tragédia se misturando com um fundo musical emotivo e gritos de "campeões, campeões". Às 13h30, teve início a cerimônia solene, com o pronunciamento de autoridades. O presidente Michel Temer, porém, não discursou.
 
622 70f44e65 f6ae 3041 927a 108702f7db0a
Cid Moreira lê trechos da Bíblia em homenagem às vítimas da tragédia em Medellín
"Para sonhos, não há tamanho. O pequeno pode se tornar gigante; o distante pode se tornar próximo; o impossível pode se tornar possível. Afinal, para todo sonho é preciso alguém que acredite, que trabalhe, que dê seu melhor para que se realize. Estejam com Deus nossos eternos campeões", disse o presidente da Chapecoense, Ivan Tozzo, primeiro a falar, sob aplausos.
Depois, Luciano Buligon, prefeito da cidade de Chapecó, discursou com a camisa do Atlético Nacional de Medellín, em agradecimento ao povo colombiano. "Na segunda, vamos todos juntos, unidos, começar de novo a conquista dessa equipe que não é mais só de Chapecó, é do mundo, e é de todos nós."
 
622 4b885d3b 5b7e 3cc3 8e36 44215fa30cad
Prefeito de Chapecó veste a camisa do Atlético Nacional, agradece a Colômbia e pede união; veja
Temer, que inicialmente não iria ao estádio, chegou ao aeroporto de Chapecó às 8h45, recebeu e as vítimas e depois também se dirigiu à Arena Condá. Ele entrou no gramado no momento em que o hino da Chapecoense era executado. Várias personalidades também estiveram na cerimônia, como o presidente da Fifa, Gianni Infantino; o ex-jogador Carles Puyol; e Tite, técnico da seleção brasileira.
Até mesmo o Papa Francisco participou da cerimônia, através de mensagem lida por Dom Odelir José Magri, bispo de Chapecó. Fã de futebol, o pontífice pediu "conforto e restabelecimento aos sobreviventes" e "coragem para todos os atingidos pela tragédia".
 
622 9191cee7 67fe 3445 89d6 c4ef76de65ec
Em meio a forte chuva, presidente da Fifa chega ao velório acompanhado de Seedorf e Puyol
A grande maioria dos 71 falecidos no acidente foi velada no estádio. Os outros eram tripulantes do avião (cinco bolivianos, um venezuelano e um paraguaio) e jornalistas da Globo e Fox, que fretaram voos para transferir os corpos para suas respectivas cidades. Após a cerimônia, as famílias viajarão com seus mortos também para seus locais de origem, já que a maioria do plantel era de fora de Chapecó.
Os corpos dos três jornalistas da TV Globo - Guilherme Marques, Guilherme Van Der Laars e Ari Júnior - foram velados também neste sábado no sede do Botafogo, em General Severiano. Lá, a despedida também contou com uma multidão, entre familiares, amigos e fãs dos profissionais.
 
622 1f7c7348 7ace 3e57 9b8e e7fee079b6de
Um a um, nomes dos mortos em tragédia são anunciados na Arena Condá
O acidente ocorreu na madrugada de segunda para terça-feira quando o avião que transportava a equipe da Chapecoense, que iria disputar o jogo de ida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional da Colômbia, caiu perto de Medellín.
Postar um comentário