O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

"Dentista" por um dia, Cowboy leva mordida de cavalo: "Arrancou pedaço" Lutador de Três Rios (RJ) afirma que "perrengues" durante preparação para suas últimas lutas têm dado sorte e revela gripe após correr atrás de animais em sítio

Por Rio de Janeiro

A vida profissional chegou a Alex "Cowboy" Oliveira, lutador do UFC e uma das promessas do Brasil nas artes marciais mistas. A fama, as viagens internacionais e a responsabilidades aumentaram conforme ele foi ganhando notoriedade na organização. As suas raízes, porém, seguem fincadas em Três Rios (RJ), região Centro-Sul Fluminense. A relação com os animais típicos de fazenda segue a mesma - entretanto, a proximidade com os bichos, por pouco, não o atrapalhou durante a preparação para o UFC 207, evento no qual enfrentará Tim Means, dia 30 de dezembro, em Las Vegas, Estados Unidos.
Alex Cowboy (Foto: Marcelo Barone)Lutador ficou gripado durante aventura para recuperar uma vaca e um bezerro perdidos no pasto do sítio, em Três Rios (Foto: Marcelo Barone)
A história inusitada - mais uma no currículo de Cowboy - provocou risadas dos treinadores e dos companheiros de equipe, todos acostumados aos contratempos do lutador. Ele, inclusive, afirma, em entrevista ao Combate.com, que foi apelidado de "dentista" pelos amigos.
- Foi uma tragédia, né (risos)? Estava lidando com os bichos no sítio e queria ver que dente do cavalo estava doendo.Coloquei a mão por dentro da boca dele, e o bicho arrancou um pedaço do meu dedo fora. Os caras me zoaram aqui no Rio, falando que eu sou um "cowboy-dentista" (risos). Dentista é o caramba, rapaz! Estou tranquilo, melhorei. Arrancou um pedaço de carne do dedo e da unha, por cima. Fazia o curativo e treinava. Saí na porrada quase todo dia. Doeu, o coração estava batendo na ponta do dedo (risos), mas não atrapalhou em nada os meus treinos. Toda vez que vou lutar, me machuco antes. Uma vez "trepei" a costela, na outra o braço, depois o ombro. Eu vivo na adrenalina. Na minha cidade ando de cavalo, de moto, sei que os caras não gostam, mas a minha vida é essa.
E se você, caro leitor, acha que esse foi o único percalço de Alex Cowboy, está redondamente enganado. O atleta - cerca de três semanas antes do evento - ficou gripado ao procurar uma vaca que havia sumido no pasto após dar à luz um bezerro.
Alex Cowboy (Foto: Marcelo Barone)Alex Cowboy mostra o dedo indicador quase recuperado, porém, 
sem um pedaço da unha, arrancado pelo cavalo (Foto: Marcelo Barone)
- Tenho umas vacas e, uma delas, "ganhou" bezerro, então estava lá no pasto. Se você demorar a buscá-la, os urubus comem o bezerro. Saí debaixo de chuva, andei quase o dia inteiro procurando a vaca. Graças a Deus consegui achar, mas peguei sol e muita chuva. Achei a vaca, mas fiquei gripado. O pessoal reclamou de mim. Falei: "Tenho boi, cavalo, mas não tenho empregado". É meu primo quem cuida e, quando ele está ocupado, eu ajudo no sítio. Foi a minha vez de sair atrás da vaca e do bezerro.
Habituado a passar as festas de fim de ano longe da família, Alex Cowboy não liga, desde que retorne para sua cidade com a vitória. Para isso, prevê uma "guerra" contra Tim Means e, no que depender de sua disposição, o confronto terminará por nocaute.
- Ele usa bastante o cotovelo, joelho, é do muay thai. Estamos aí para surpreender, sou do Vale-Tudo. Ele tem várias armas, e eu tenho um arsenal. Não sou criado no berço, trabalho firme desde criança. Essa luta vai ser boa. Ele não vai querer travar o jogo e nem eu. Vai ser nocaute, a porrada vai cantar. Se ele não economizar energia, eu também não vou economizar. Serão três rounds de porrada. Não sei em que round (vai acabar), ele vai usar o cotovelo, usarei minha mão pesada (...). O presente é a vitória para a minha família. É o terceiro Natal longe deles. O mais importante é voltar feliz da vida, saindo com eles para comer um hambúrguer, uma pizza e tomar um refrigerante. É isso que eles gostam.
"TRABALHO" PARA OS TREINADORES
Quando o telefone toca - e a ligação é de Alex Cowboy - Tatá Duarte e Philip Lima, treinadores do atleta no Rio de Janeiro, suam frio. A expectativa por uma história mirabolante sempre existe - e eles até passaram a tratar os causos com certa normalidade.
- Vejo pelo lado positivo, porque tem acontecido isso tudo e ele tem vencido (risos). Em uma luta, levou um pisão de uma vaca, na outra, caiu do cavalo e ficou todo ralado. Agora, quis dar uma de veterinário, de dentista, e levou uma mordida. O Cowboy é dessa maneira perigosa e engraçada ao mesmo tempo - declarou Tatá.
Alex Cowboy em Três Rios (Foto: Marcelo Barone)Alex Cowboy em Três Rios: lutador passa boa parte do tempo cuidado dos animais do seu sítio (Foto: Marcelo Barone)

Philip Lima também enxerga da mesma maneira e frisa que o apelido de Alex Oliveira não é apenas simbólico.

- Cada um tem seu perfil. Temos que aprender a respeitar, a orientar, dentro de suas qualidades e particularidades. Ele é da roça, não é um cowboy só de título. Ele é um peão mesmo, participou de rodeios, é um cara que vive da fazenda, dos animais. Temos que respeitá-lo, até para puxar o melhor dele nos treinos.

UFC 207
30 de dezembro em Las Vegas, EUA
CARD DO EVENTO (até o momento):
Peso-galo: Amanda Nunes x Ronda Rousey
Peso-galo: Dominick Cruz x Cody Garbrandt
Peso-pesado: Fabricio Werdum x Cain Velásquez
Peso-galo: TJ Dillashaw x John Lineker
Peso-palha: Jessica Andrade x adversária a ser anunciada
Peso-meio-médio: Mike Pyle x Alex Garcia
Peso-meio-médio: Brandon Thatch x Niko Price
Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Tim Means
Peso-meio-médio: Dong Hyun Kim x Tarec Saffiedine
Peso-meio-médio: Johny Hendricks x Neil Magny
Peso-mosca: Louis Smolka x Ray Borg
Peso-médio: Antônio Cara de Sapato x Marvin Vettori
Postar um comentário