O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Fundamental defensivamente, Wagner se consolida como peça importante no elenco cruzmaltino

image
Wagner voa para pontuar para o Vasco na vitória contra o Basquete Cearense - Foto: Paulo Fernandes/Vasco

Quando Wagner retornou ao Vasco, sendo uma das contratações do Gigante do Basquete para o NBB 9, sempre deixou claro o carinho pelo clube do coração e a felicidade em estar retornando para "sua casa". Campeão diversas vezes nas categorias de base do Cruzmaltino e tendo a oportunidade de pertencer ainda muito jovem ao melhor time da história do Almirante, o pivô de 2,03m tem transformado esta alegria em boas atuações dentro de quadra. Com a parte defensiva sendo sua principal característica e tendo no rebote sua grande arma (38 no total durante o atual NBB, sendo 27 defensivos), Wagner conversou com o Site Oficial e contou sobre seu estilo de jogo.

- Procuro sempre ajudar a equipe mais no setor defensivo. Meu trabalho às vezes não é muito exaltado por aqueles que não entendem de basquete, mas a maioria dos técnicos valoriza bastante este tipo de contribuição. Sempre que o time está perdendo ou começa mal, eu sou um dos primeiros a entrar para dar uma sustentação defensiva e por ser um atleta de muita garra e explosão. Tenho uma vontade de vencer enorme e passo isso para o restante do time. O rebote para o pivô vale mais do que o ponto. Neste elenco nosso, que tem diversos arremessadores, quanto mais rebotes de ataque e também defesivo nós pegarmos, tudo fica mais fácil - disse o camisa 7.

image
Wagner se prepra para arremessar o lance livre - Foto: Thiago Moreira/Vasco

Na próxima rodada, Wagner enfrenta seu ex-clube Mogi, onde atuou por dois anos consecutivos antes de retornar a Colina Histórica. O duelo será no sábado, às 14 horas, no Ginásio Professor Hugo Ramos, em Mogi, palco que o pivô cruzmaltino conhece bem.

- O Mogi é bastante periogo. Tem jogadores que, junto da torcida, crescem. O primeiro tempo da partida vai ditar o que a torcida deles fará, se vai ajudá-los ou não. Estive lá e sei que a pressão é grande tanto pra eles quanto pra nós. Se eles tiverem um bom início, os torcedores vão apoiar na arquibancada, mas se forem mal, vão cobrar. Então, devemos focar no começo do jogo, até porque virão mordidos, pois vencemos aqui no Rio no primeiro turno e foi uma vitória contundente. Com certeza eles querem revanche e precisamos estar atentos para que isto não ocorra - comentou o atleta.

Com uma história ligada ao clube de São Januário desde as categorias de base, Wagner se acostumou a participar de grandes clássicos contra o Flamengo e expôs sua vontade de vencer o rival quando voltou ao Vasco. Após mais uma vitória contra o Rubro Negro, na última rodada, o jogador falou sobre o assunto. 

- Estou muito feliz de estar aqui no Vasco, na minha casa, voltando para as minhas origens. Fico contente de estar ajudando o time. Eu quando estava em Mogi, costumava enfrentar o Flamengo nas semifinais. Por ter nascido e sido criado aqui no Vasco, esta rivalidade sempre ficou aflorada dentro de mim. Quando estava no juvenil aqui, a gente não perdia pra eles, só pegar o histórico. Ainda não tivemos uma vitória contra eles com a nossa torcida e isto é ruim, apesar de estarmos vencendo as partidas. Espero que isto possa acontecer o mais breve possível, quem sabe até em uma final - completou Wagner.
Texto: Thiago Moreira
Postar um comentário