O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 8 de março de 2017

Técnico desempregado estuda processar clube e pausa na carreira Wemerson volta para casa após descobrir não ter mais emprego no Piauí depois de garantia de contrato e viajar 21h. Ele estuda processar clube: “Futebol não é bagunça”

Por Teresina

Wemerson Carvalho, técnico  (Foto: Arquivo Pessoal )Wemerson volta para casa mais cedo do que imaginava: ele conta ter acertado para comandar Piauí, mas soube após chegar que não teria mais emprego (Foto: Arquivo Pessoal )
Depois de ter a expectativa frustrada de assumir o Piauí, o técnico Wemerson Carvalho retornou a Campina Grande, na Paraíba. A viagem de volta para casa aconteceu mais rápida daquilo projetado. Wemerson conta ter recebido garantia da presidência do clube piauiense em comandar o Rubro-Anil no campeonato estadual, mas acabou descobrindo ao chegar a Teresina que não teria o emprego. Viajou 21 horas, ficou hospedado em uma pousada até receber a má notícia. Depois da decepção, Wemerson resolveu dar um tempo no futebol e contatou um advogado para estudar um processo contra o clube. Ele relata ter áudios de conversas e mensagens que comprovariam a contratação. Por outro lado, o Piauí nega acerto com Wemerson. 
- A volta também foi cansativa. A diferença é que na ida fui com a mala cheio de planos, entusiasmo, sonho de fazer um trabalho, de trazer algo para a família e a certeza de assumir. Estudei vídeos, gols, para ver o que o time estava precisando. Houve o acerto. Na volta, vim com a frustração, cheio de dúvidas e a indignação com essa situação, aconteceu uma injustiça. Chorei na madrugada toda no ônibus, quando retornei. Precisei tomar remédio, um calmante, para poder dormir. Chorei pela humilhação passada – narrou Wemerson, completando sobre a intenção de entrar na justiça.
- Não sou leigo, não sou analfabeto. A gente estuda, sabe dos nossos direitos. Tenho um advogado, que sabe o que passei. Senti na pele, foi doloroso. Estamos estudando se entra ou não com uma ação, contra o clube ou o presidente. Guardo as conversas. Tem que ser feito algo para coisas assim deixem de acontecer. Futebol não é bagunça, pilantragem – completou o treinador.
Estudei vídeos, gols, para ver o que o time estava precisando Na volta, vim com a frustração, cheio de dúvidas e a indignação. (...)  Estou decido dar um tempo, apesar de amar futebol. Estou cheio de dúvidas, uma situação frustrante"
Wemerson
Aos 37 anos de idade, o técnico resolveu: a carreira no futebol terá uma pausa. Em casa, com a esposa e os três filhos – de 13, 14 e 17 anos – Wemerson desfez a mala e se mostrou magoado.
- Até o ex-presidente do clube onde estava telefonou. Amigos treinadores também, dizendo para levantar a cabeça. Mas estou decido dar um tempo, apesar de amar futebol. Estou cheio de dúvidas, uma situação frustrante. Sou casado, tenho três filhos. Eles choraram comigo com essa situação – disse.
Wemerson Carvalho, técnico  (Foto: Arquivo Pessoal)Wemerson Carvalho na saída do hotel onde ficou hospedado até ter condições de voltar para casa (Foto: Arquivo Pessoal)
- Foi uma total falta de respeito. O momento constrangedor no hotel, as pessoas querendo ficar com a mala. Recebemos R$ 600 do Kenedy (Gomes, diretor de futebol do Piauí) para passagem e depois mais R$ 50. Não almoçamos no sábado, para juntar esse dinheiro para comprar as passagens de volta. No domingo, a mãe de um amigo que joga em Teresina nos ajudou com R$ 50. Na saída do hotel, queriam chamar a polícia. Botei a mala nas costas, disse que era para resolver com o presidente e fui para a rodoviária – relatou. 
Senti na pele, foi doloroso. Estamos estudando se entra ou não com uma ação. (...) Futebol não é bagunça, pilantragem"
Wemerson
Wemerson chegou a Teresina na sexta-feira após receber sinalização do Piauí sobre a contratação. Segundo o técnico, as conversas foram aceleradas depois da derrota do Enxuga Rato para o Parnahyba, no dia 22 de fevereiro – quarto revés do Rubro-Anil em quatro jogos. A apresentação aconteceria depois do carnaval. O acordo também envolvia a contratação de jogadores. Dois deles, inclusive, viajaram com Wemerson. No sábado, Wemerson recebeu a notícia de que não seria treinador do Piauí. 
- Só disseram que as coisas mudaram e não iria assumir mais o clube. Isso foi uma palhaçada. 
Wemerson Carvalho, técnico (Foto: Arquivo Pessoal)Wemerson Carvalho (Foto: Arquivo Pessoal)
PIAUÍ NEGA ACERTO COM TÉCNICO

Procurado pelo GloboEsporte.com, o presidente do Piauí, Jacob Júnior, explicou que o treinador tentou cavar uma vaga no clube e, sem sucesso, segundo ele, criou essa situação. Ainda de acordo com Jacob, o próprio Wemerson o avisou sobre o processo que pretende abrir contra o clube. 

- Eu não fui desumano com ele. Até paguei passagem para ele voltar para a Paraíba e o hotel daqui. Ele achou que a gente era besta e tentou forçar uma contratação. Como não conseguiu, ficou com raiva. Ele está procurando mídia e fez vários jogadores me ligarem para dar pressão. Até me mandou uma mensagem falando que vai processar a mim e o clube. Como a justiça funciona para os dois lados, o Piauí não tem medo e nem receio. Não devemos nada. Ele não tem nenhum contrato e nenhum documento que comprove o acerto. É mais uma batalha judicial que vou ter que entrar e não tenho medo - disse Jacob.
Postar um comentário